quarta-feira, julho 29, 2009

(Passagem - P.M)


Coração nos olhos
Ideologia volátil
Sensação em punhos
Realidade ao avesso

Mundo rodando
Antídoto parado
Cabeça aberta
Teoria aparente

Contrapartida real
Morte vivida
Cactos do tempo
Sincero esquecimento

Sentimento tátil
Bela imperfeição
Valor e oposição
Palavras distintas

Pincel e molduras
Conclusão dormente
Passos de aço
Trilhas e compassos

Pensamentos irmãos
Realidade perdida
Lembranças, vontades
Mentiras e verdades

Intensidade e caos
Vestígios e correntes
Liberdade de fogo
Nunca pra sempre...

Sou o que sou.

4 comentários:

Leco Carvalho disse...

As Salam (a Paz)
Parabéns meu irmão. Muita coisa que você escreve pode virar música.

Pedro Melo disse...

Deus te ouça meu querido

Menina Montezuma disse...

Esse menino tem nervos de aço. Às vezes me lembra Pessoa, às vezes Dos Anjos. Entre o divino e o maravilhoso, é gente, é humano, tá de passagem, e ainda emociona, inspira.
Hoje foi um dia especial, e este escrito caiu como uma luva, daquelas de veludo,confortáveis e macias, que nem por isso sua presença deixa de ser sentida.
"Passagem" foi pra Vovó Antonieta!
Assim seja...

Cris de Souza disse...

evoé !
sou o que estou.