quarta-feira, setembro 29, 2010

(O Anjo caído - P.M)


Tentei salvar um anjo
Que se encontrava perdido
Nas linhas da minha mão.
Tentei evitar suas lágrimas,
Mas me faltou a compaixão.

Tentei entender o que me dizia,
Procurei pelas portas abertas
Mas no vazio das entrelinhas
Suas palavras me foram secretas

Busquei modelar a alma
Me entorpecer de algum jeito
Que revelasse a verdade
Ou sentimentos dentro do peito

Tentei decifrar os sentidos
Percorri estradas sem saída
Mas as palavras do anjo
Eram grandiosas demais
Para a razão desta vida

Encarei forças ocultas
Em cada enigma imaginado
E nem o sinal da sua partida
Despertou os motivos criados

E o anjo se afastou...
Num gesto lento e profundo,
E sussurrou no vento
A essência perdida deste mundo.

4 comentários:

Guilherme Augusto Codignolle Souza disse...

Me lembrou uma postagem minha...

http://codignolle.blogspot.com/2010/09/amado-fim-de-um-gotico.html

Gostei daqui e estarei seguindo. ^^

Eu também tenho um blog, quando puder passa la e me segue também se gostar do que encontrar:

http://codignolle.blogspot.com

Meu Twitter (Se você tiver):

http://twitter.com/guicodignolle

o/

Jonas Ohana disse...

Você é espetacular nos seus temas. Ler poemas com essa qualidade temática é notar o quão criativa uma mente pode ser. Por isso, acho que uma rima pode ser algo muito pequeno perto desse conceito.
Eu costumo não por rimas quando elas não vem na cabeça... Uma rima pode ser muito mais preciosa quando ela é única na rima, do que quando ela está no meio de muitas.
Mas você é muito bom!

Shantala disse...

Nossa que lindo!!! É o poema mais lindo que já li... :)
Parabéns meu anjo! Vc é pureza nas palavras!

Gisele André. disse...

Simplesmente lindo!