quarta-feira, maio 05, 2010

(Ligeira vida reflete - P.M)



Ligeira vida reflete
Como alma a escorrer
Imagem sonhada em vales
De calma ilusão a convencer

Mal se cria em motivos
Simbolos raros e definição,
Sendo ausente, é sentido
De sombra, distância e vazão.

Em dormência, me acolhe
No encontro do esquecimento
Com a lembrança que renasce
Do vazio e eternos momentos.

Um comentário:

Felipe disse...

Pedro, seus poemas são muito agradáveis de se ler. Pena que aqui o blog demora muito a carregar, fico impaciente e as vezes desisto de esperar, mas toda visita que faço vale a pena. Um grande abraço!