sábado, junho 14, 2008

(Silêncio - P.M)


O silêncio não aprendeu a ter vontade
Chegou ao mundo, tímido e paciente
E pôs-se a caminhar, lentamente
De passagem...

Veio calado e quieto ficou
Permanecendo inerte, sem figurar
No segredo da interpretação se exilou
Mesmo que por vezes, em agonia, esperar

Não quis ser, nem teve querer
Conformou-se em matura solidão
No entanto, foi no sentido do seu tempo...
Paz e provação.

Observou todos a falarem...
Enquanto o mundo gritava
E diante dos barulhos infindáveis...
Apenas sonhava

Sonhava com o dia
em que tudo pararia...
Sem vestígio de som
E todos chegariam, em silêncio,
À mesma conclusão!

3 comentários:

Camila disse...

Nossa, eu achava que todos os grandes escritores morassem longe,é muito bom saber que eu tenho um que mora bem pertinho, que faz parte do meu circulo de amizade agora! rs E que eu espero que faça por toda a vida..
Você sempre me surpeendendo né? Sera que ainda falta muito pra eu descobrir todas as suas qualidades?Tempo..quando falamos dele parece que se trata de algo muito demorado,mas quando é pra se descobrir coisas boas, vale apena esperar!!
beijoss
fica com Deus

tiago disse...

PARABENS Pedrao tu e o cara muleke! to de boca aberta cara ta fluindo facil heim...
coisa linda ver que estas num caminhu que tu sempre curtiu.
TA BRUTAL TDS OS TEMAS.!
te desejo toda sorte dos ceus meu mano!!!
forte abraçoo!
Tiago da Tufa

Ximene disse...

PO me lembro ate hj, o Pedro me mandando essas paradas pra eu ler, me amarrava, sempre pedia pra ele mandar mais, Pedro te admiro por muitas caracteristicas, mais essa e a melhor de todas elas, adoro o que voce escreve, voce traduz muito sentimento, e isso e maravilhoso, Beijao da tua amiga pra sempre Ximene.